Cromoterapia em Spas – atuação e eficácia

 

Atualmente a cromoterapia vem ganhando espaço junto aos Spas do mundo todo, onde as cores são estudadas desde a pintura das paredes dos ambientes, criando um clima, com um determinado objetivo. E buscam passar isso através das cores e nuances, nas vestes que utilizam e nas calhas de luz e cores (nas macas, em cabines), onde são aplicadas e utilizadas para tratar e ajudar pessoas estressadas com desequilíbrios psicoemocionais ou, somente para corpo físico desvitalizado. O corpo absorve a energia das dores pela vibração que elas emitem.

 

A cor “errada“,  quando aplicada por muito tempo, funciona da mesma forma de como tivéssemos ingerido um tipo errado de alimento. Tende a alterar a frequência do campo de força eletromagnético da célula.

E essa força interage com o campo de força mais amplo do órgão, afetando o sistema de força total, desorganizando o corpo pelo tempo que estiver exposto a este raio luminoso. Por exemplo, a luz vermelha em excesso causa uma irritação neurorresponsiva, com razões de raivas, contraturas, dores musculares, náuseas, cansaço físico, portanto, sendo vibração pura, a cor quando aplicada corretamente trata as desordens energéticas com ótimos resultados.

A cromoterapia consta na relação das terapias alternativas ou complementares como reconhecidas pela Organização Mundial da Saúde, em 1976. Essa relação foi novamente ratificada pela OMS, em 1983, através do diretor-geral da World Health Organization – OMS, Dr Halfdan Mahler, e pelo diretor do Programa de Medicinas Tradicionais da OMS, Dr Robert Bannerman.

Dessa forma, a cromoterapia foi considerada como um sistema terapêutico eficaz e comprovado, em que as cores especiais e suas nuances e tonalidades são irradiadas para o corpo diretamente através da pele, em áreas pontuais, puntiformes ou em extensões maiores. Suas ondas e vibrações energéticas efetuam uma harmonização das informações através do sistema de vias de luz do copro. A potencialidade e multiplicidade desse importante método terapêutico permitem um tratamento individual, sensível e sem efeitos colaterais.

 Artigo editado, publicado em junho/2012

 

  Artigo extraído do livro:  “SPAS – Alquimia de uma Jornada”

  Ligia da Luz Posser – Editora Besouro Box

 

 

 

 

 

 Gerontóloga, Psicoterapêuta, Escritora . . .

 





Crédito imagem superior: Photl.com

Deixe uma Resposta

Deixe uma resposta