Diabetes tipo II - 5 dicas para prevenir.

Adote estes hábitos saudáveis fornecidos pelo Dr Brian Anderson, que ajudam a prevenir a Diabetes tipo II e melhoram a sua saúde no geral.

Dicas boa saúde

Você já fez algum exame preventivo de diabetes? Adotou algum hábito na sua vida diária para evitar este problema de saúde? Se está esperando que os sintomas apareçam primeiro, quem sabe possa reconsiderar e também começar a adotar medidas simples que vão beneficiar a prevenção deste problema e também a sua saúde no geral.

A diabetes tipo II, também chamada de diabetes não insulinodependente ou diabetes do adulto, é a mais comum e, na maioria das vezes, surge em pessoas obesas e com mais de 40 anos. Os casos vem aumentando, devido aos maus hábitos alimentares, estresse, sedentarismo além de outros fatores associados ao ritmo de vida moderna.

Muitas vezes os sintomas passam desapercebidos, o que pode, ao longo do tempo, acarretar problemas mais graves de saúde e o que intensifica a importância de fazer periodicamente os exames de prevenção.

Conforme orientação do Dr. Brian Anderson, médico quiroprático (National University of Health Sciences – centro médico do campus da medicina integrativa), seguir uma dieta correta e mudar o estilo de vida, assim como os exames físicos anuais são o caminho correto para prevenir, principalmente quando há histórico familiar de diabetes.

Para quem quer prevenir a diabetes II, estes são os conselhos do Dr Brian:

1 Consumir quantidade adequada de proteínas no café da manhã para ajudar a estabilizar o açúcar no sangue para o resto do dia.

2. Beber água e evitar ao máximo os refrigerantes, bebidas esportivas comerciais e bebidas açucaradas. Esta é uma das mais importantes dicas de prevenção do diabetes para crianças e jovens, pois segundo Dr Brian, o diabetes vem se manifestando em faixas etárias cada vez mais jovens. Portanto, os pais investem na saúde de seus filhos indicando a água como primeira opção quando seus filhos estão com sede.

3. Entenda um pouco e peça a orientação do seu médico ou nutricionista sobre o índice glicêmico e carga glicêmica para poder mudar seus hábitos alimentares e saber escolher os alimentos mais baixos no índice glicêmico. Os alimentos podem ter um impacto diferente sobre a elevação do açúcar no sangue. Como por exemplo, o consumo de grãos inteiros em vez de produtos que utilizam farinha branca processada ajuda a estabilizar os níveis de açúcar no sangue.

4. Comece a usar um pedômetro e procure atingir a meta de até 10.000 passos por dia. A atividade física auxilia na manutenção do peso ideal, além de elevar a sensibilidade do organismo a insulina. Caminhar é uma forma mais fácil para quem não gosta ou não quer entrar para uma rotina de exercícios intensivos. A maioria das pessoas pode se esforçar para aumentar a quantidade de tempo que passa caminhando a cada dia.

5. Fazer um exame de bioimpedância para verificar a sua composição corporal. Reduzindo o percentual de gordura corporal e aumentando a massa muscular magra irá ajudar a prevenir a obesidade, um fator de risco levando em diabetes.

Dr Brian Anderson diz que, além da prevenção, estas dicas também são boas para aqueles que já podem ter um diagnóstico de diabetes. Medidas simples que podem ajudar a controlar os sintomas e, possivelmente, reduzir a necessidade de medicação.

Mas lembre-se: acima de qualquer dica, os exames preventivos são um fator importante na sua vida para evitar complicações. Consulte regularmente um médico para avaliar a sua saúde e a necessidade de uma medicação em casos de diabetes e mantenha bons hábitos na sua vida.

Fonte: National University of Health Sciences - Dr Brian Anderson 

Uma curiosidade interessante: você sabia que a massagem vem sendo indicada como tratamento complementar para a diabetes há mais de 100 anos? Embora sejam necessários mais estudos em torno dos benefícios, assim como para definição de quais as massagens mais indicadas neste caso, estudos não controlados sugerem que a massagem pode ter efeito positivo sobre os níveis de glicose no sangue e nos sintomas da neuropatia diabética. (Fonte: Nuhs - Reseach to Practice/Complementary & Integrative Medicine / Jeanette Ezzo, Thomas Donner, Diane Nickols e Mary Cox).

 

Imagens: Photl.com / stock.xchng


Deixe um Comentário Cancelar resposta
O seu endereço de email não será publicado


RECEBA NOSSOS
INFORMATIVOS

Loja Online

Alerta
Ok
Carregando
Erro

Não foi possível ler a página!